Blogs Portugal

segunda-feira, março 12, 2007

O Espião


I'm a spy in the house of love. I know the dream, that you're dreamin' of. I know the words that you long to hear. I know your deepest, secret fear. I'm a spy in the house of love. I know the dream, that you're dreamin' of. I know the words that you long to hear. I know your deepest, secret fear. I know ev'rything. Ev'rything you do. Ev'rywhere you go. Ev'ryone you know. I'm a spy in the house of love. I know the dreams, that you're dreamin' of. I know the words that you long to hear. I know your deepest, secret fear. I know your deepest, secret fear. I know your deepest, secret fear. I'm a spy, I can see you What you do. And I know.



Soam os primeiros acordes e lá vamos nós outra vez…
Gosto da música, mas se hoje pudesse escolher provavelmente escolheria nunca a ter ouvido, acho que é a coisa mais parecida que tenho com um trauma.
Sinto-a imediatamente no peito e nos olhos, ela tortura-me e conforta-me ao mesmo tempo, mas porque raio a ouço tantas vezes? Será que quero purgar este demónio que se me instalou na alma? Ou será que estou a alimentar o sacana, e no fundo quero mesmo ser um daqueles tipos patéticos que querem sofrer, e que os entendam, e que no fundo apenas se distanciam porque querem que os outros se aproximem?

“…Vais viver em muitas casas e nenhuma será tua”
“…E nada jamais será teu, ninguém te pertencerá porque não te permites a isso”

A qualquer momento ela pode vir, ela está dentro de mim e as vezes parece que nunca a vou esquecer, esta tudo bem e então soa a voz…Está tudo perdido então.

“…Abandona este lugar, tu não pertences aqui, toda a gente sabe quem tu és…Um espião só é útil enquanto consegue esconder a sua identidade”

Sinto-me como aquela personagem de banda desenhada, o Monstro do pântano, serei eu uma planta que um dia foi um homem, ou será que sou uma planta que tem a fantasia que foi um homem.

Tenho de sair daqui penso eu, para um sítio onde não se ouçam outras vozes, talvez não seja suposto ouvirmos tanta coisa... Sabermos tanto e de tanta gente diferente.