Blogs Portugal

sábado, junho 23, 2012

Pensa Nisto


Quanto de ti é mesmo teu?
Sabes o que sentes neste momento e porquê?
 Pensas a vida? Pensas de todo? Refiro-me a levar uma questão até ao fim da tua capacidade, fazer esse esforço extra, és capaz de tal coisa ou sentes um súbito ímpeto que te faz ligar a televisão ou qualquer outra coisa que não te deixe sozinho?
Consegues estar sozinho? Realmente sozinho?
Decidir por ti? Quantas das tuas decisões foram baseadas no medo que sentes?
És honesto? Sabias que ser livre é não ter de mentir?
Já pensaste na beleza? Que é para ti o amor? Uma palavra que se usa em canções e convenientemente rima com dor?
De que é que precisas? Já o tens? Estás disposto a lutar por isso?
Se não precisares de muito não há muito que te possam tirar.
Alguma vez pensaste no conceito de arte ou em qualquer outro conceito abstracto?
O que é para ti isto de estar vivo? Sentes-te amadurecer? Pensas no que será morrer?
Achas que és sempre o mesmo ou mudas com as marés?
Sentes realmente alguma coisa ou finges os sintomas?
Se te perderes que não seja para sempre, se não te achaste continua à procura, a grande decisão da tua vida é esta:
Queres ser ou basta-te aparentar?

sábado, junho 09, 2012

A Água

Vejo o sangue que me escorre da mão diluir-se com a água corrente e escorrer pelo ralo do lavatório.
Momentos antes a raiva reinava, ela explodiu pelo meu braço e chocou num punho fechado com o espelho.
A raiva passou, o espelho quebrou-se num estrondo e a pele cedeu no dedo anelar, o sangue abandona-me, trocou-me pelo esgoto e parece-me uma escolha acertada no momento.
A água corre e sinto que me cura, observo-a, como é bela na sua ausência de cor, a sua transparência inspira-me ideias como honestidade e despretensão.
Quando flui sinto que ouço a primeira canção do mundo, que toda a música e filosofia partiu da vontade de a imitar, sinto-a fluir e não consigo deixar de pensar que ela se esbanja em mim sem nunca se esgotar.
É tanta a água e tão pequeno o corte que não sinto nada para além de gratidão, que a esperança vem nas horas mais estranhas e que o amor é em tudo como a água.